(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Com uma conta de divisão simples de matemática você consegue visualizar o ganho de tempo que você teria ao conseguir rentabilizar melhor o dinheiro. Essa é a grande vantagem da regra dos 72. Ela te ajuda a alinhar as expectativas de retorno e tempo em investimentos que utilizam juros composto. Isso sem precisar dominar calculadoras financeiras e fazer contas mirabolantes.

Basicamente, você pode dividir 72 por sua taxa de juros composta anual e ver quantos anos levará para que seu investimento dobre. Ou então para saber em quanto tempo eles serão reduzidos à metade diante da inflação brasileira.

Para explicar melhor essa regra, e como ela vai mudar seus investimentos, confira o artigo abaixo.

Regra de 72: o que é?

Se você quiser saber quanto tempo levará para dobrar seu investimento a uma taxa de juros composta, a regra dos 72 é a maneira mais rápida de fazê-lo. 

Mas mesmo que você não esteja procurando multiplicar seu dinheiro por duas vezes, saber o período de tempo que levaria para fazer isso pode ajudá-lo a inferir quando você alcançaria seu objetivo.

Aprender a calcular juros compostos é um procedimento matemático complexo que faz com que a maioria das pessoas busque uma calculadora. 

Para começar, verifique qual é sua taxa de juros anual composta do investimento de renda fixa que quer analisar. Depois de saber isso, você deve dividir 72 pela taxa de juros anual. (daí a regra dos 72). 

O resultado é o número de anos que levará para o dinheiro investido dobrar de valor. Mas atenção: ao fazer matemática, a maioria das pessoas está acostumada a escrever porcentagens na forma decimal, como 4% escrito como 0,04. 

Ao contrário disso, certifique-se de manter a taxa como um número inteiro ou sua resposta será lamentavelmente errada. Abaixo está uma representação matemática da regra de 72:

72 ÷ sua taxa de juros anual composta = quantos anos até que seu investimento dobre

Leia também::: Quais os investimentos mais seguros e adequados para iniciantes?

Sobre juros compostos

A regra de 72 é um princípio matemático que estima o tempo que um investimento levará para dobrar de valor. 

No entanto, você só pode aplicar essa regra para aumentar o crescimento ou decadência. Em outras palavras, você só pode usá-lo para investimentos que rendem juros compostos, não juros simples. Com os juros simples, você só ganha juros sobre o valor do principal investido. 

Juros compostos é “juros sobre juros”: incide sobre os juros acumulados, além do principal. Ou seja, simplesmente pegue o número 72 e divida-o pelos juros ganhos em seus investimentos a cada ano para obter o número de anos que levará para que seus investimentos cresçam 100%. Ou cair 50%.

A origem da regra 

O interesse existe desde os tempos antigos em estudos matemáticos e econômicos. Na verdade, parece que remonta às civilizações mesopotâmica, romana e grega. O Alcorão até faz menção disso, segundo estudiosos. Suas raízes vêm da agricultura e das primeiras encarnações de empréstimos de terra e dinheiro.

Aliás, o primeiro indivíduo a mencionar a regra dos 72, porém, é Luca Pacioli, um renomado matemático italiano. Seu livro “Summa de arithmetica, geometria, propori et proporcionalita” (“Resumo da Aritmética, Geometria, Proporções e Proporcionalidade”), foi publicado em 1494 e detém a primeira referência conhecida da regra.

Exemplos da regra dos 72

Por exemplo, digamos que você invista R$ 1.000 a uma taxa de retorno anual de 9,2%. Para calcular o tempo de duplicação usando a Regra dos 72, você deve inserir os números na fórmula da seguinte maneira:

72 ÷ 9,2 = 7,8

Isso significa que seu investimento inicial de R$ 1.000 valerá R$ 2.000 em cerca de 7,8 anos, supondo que seus ganhos estejam aumentando. 

Se você investir R$ 10.000, terá R$ 20.000 em menos de oito anos. Isso também significa que R$ 20.000 dobrarão novamente em outros oito anos, assumindo a mesma taxa de crescimento — em outras palavras, você terá R$ 40.000 em menos de 16 anos. 

Portanto, a regra dos 72 serve de referência para estimar quantos anos você precisa para dobrar seu patrimônio com uma determinada rentabilidade média. 

Exemplos concretos

Por exemplo, vamos a um mais concreto. Imagine que queira investir um dinheiro para sua aposentadoria financeira no futuro. E você está considerando alguns cenários no seu planejamento financeiro e quer usar a regra dos 72 para ter uma visão melhor do impacto dos juros no tempo para alcançar seu objetivo. 

No cenário A você resolveu ser muito conservador e investir em um título do Tesouro Direto que tenha uma rentabilidade média anual de 6,5%. Pela regra dos 72, você percebe que neste investimento hipotético seu dinheiro dobra em 11,08 anos. 

No cenário B você quis avaliar um fundo de previdência privada de renda fixa também, mas com um perfil um pouco mais arrojado que pode te dar uma rentabilidade anual de 10%, por hipótese. Neste caso, você dobraria seu dinheiro em 7,2 anos.

Ou seja, perceba que esta conta serve de parâmetro bem simples para avaliar as alternativas de investimentos. É claro que este não é o único fator que deve ser levado em conta. É importante que o perfil do investimento seja coerente com o seu perfil.

Mas essa conta simples te dá uma visão mais clara do impacto dos juros no tempo. 

Por que você deve usar essa fórmula?

Usar a Regra de 72 é uma ótima maneira de ajudar as pessoas a entender quanto os juros compostos podem ajudar a acelerar suas economias. 

Mas também ajuda a mostrar o valor de começar a poupar para a aposentadoria mais cedo. Se o seu dinheiro puder dobrar a cada 10 anos, você terá muito mais tempo para aumentá-lo se começar a investir mais cedo ou mais tarde.

Além disso, se economizar para a aposentadoria é assustador para você, tente usar a Regra dos 72 para obter um número aproximado do que você precisará. Dessa forma, é possível dizer se você precisa aumentar seu valor de poupança ou buscar investimentos um pouco mais arrojados para tentar aumentar sua taxa de rentabilidade.

Porém, a regra também pode ser aplicada ao contrário. Por exemplo, se você deixa seu dinheiro parado na conta corrente sem rentabilizar nada e a inflação anual é de 4%, significará que em 18 anos o dinheiro da conta valerá apenas a metade do que vale hoje.

Leia também::: O mito da aposentadoria financeira

Faça os cálculos

Como ficou evidente no artigo, usar a regra dos 72 te ajuda a saber, de forma mais rápida, quanto tempo vai levar para dobrar seu capital inicial.

Portanto, é possível também saber em quanto tempo seu dinheiro será desvalorizado por conta da inflação. Mas, nesse caso o resultado não é exato em virtude da variação que ocorre ano a ano nesse indicador.


De qualquer forma, esperamos que tenha gostado do artigo sobre a regra dos 72. E para mais dicas e informações, siga nosso canal no Youtube. Tem sempre informação nova postada lá!

%d blogueiros gostam disto: