(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Ter um bebê está entre as melhores sensações que um casal que quer ter filhos pode experimentar. Mas saber quanto custa criar um filho pode lhe ajudar a se organizar financeiramente para esse grande desafio. Além de proteger, de forma adequada, o futuro deles.

Os custos com um filho iniciam antes mesmo de seu nascimento. E podem ser planejados com antecedência para que o dinheiro seja um recurso facilitador e não um problema. 

A partir do momento que ele é concebido, é de fundamental importância que a mulher faça um pré-natal. Essas consultas obstétricas têm como objetivo garantir o melhor desenvolvimento ao bebê, bem como prezar pela saúde e segurança da mãe.

E nesse processo, haverá gastos com médicos, exames, medicamentos e suplementações, que já entram na tabela de gastos.

Mas para explicar melhor quanto custa criar um filho e como você pode se planejar, preparamos o artigo a seguir. E queremos deixar claro desde já: apesar dos custos, as alegrias que eles proporcionam são incalculáveis.

Vamos lá!

Quanto custa ter um filho?

Existem muitas variáveis ​​que entram em jogo ao determinar quanto custa ter um filho. O estado e cidade em que você mora, se você tem, ou não, um plano de saúde, o tipo de parto que você quer ter, todos desempenham um papel na sua conta final.

Por exemplo, se a escolha for por um parto particular, o valor varia conforme a equipe médica, o local escolhido, no hospital ou em casa, a necessidade de internação, medicação, entre outros fatores.

Outra opção seria a contratação de um plano de saúde, que já cubra as consultas mensais e exames, bem como a internação, parto e exames pós-parto. Nesse caso, bons planos de saúde variam de preço em função da idade, da rede de hospitais disponíveis, se tem ou não coparticipação, dentre outros fatores.

Um ponto importante observar em relação ao plano de saúde é que a contratação de um plano novo ou um upgrade do seu plano atual precisa ser planejada com antecedência. A maioria dos planos possuem uma carência de 300 dias para parto. Portanto o planejamento desta etapa requer antecedência. Afinal, tudo o que menos queremos é uma dor de cabeça que pode ser facilmente evitada em um momento tão mágico como esse. 

Preparos de largada

Além desses gastos iniciais, que como explicamos são bastante variáveis, há outros custos que cobram seu preço desde a largada até a chegada do bebê chega em casa. 

Nele estão gastos com o quarto, berço, roupas, fraldas, banheira, bebê-conforto, carrinho, entre outros. Alguns deles podem ser ganhos nos tradicionais chás de bebê, mas se não for essa a opção, novamente é preciso considerar seus custos.

A recomendação é que o bebê seja amamentado exclusivamente de leite materno até os seis meses de idade, para que tenha seu melhor desenvolvimento. Porém, em alguns casos isso infelizmente não é possível, por fatores diversos. 

Aí entram os custos com uma alimentação exclusiva para o bebê, cuja lata varia entre R$ 15 e R$ 100, dependendo da fórmula. 

Leia também::: Mentalidade financeira: moldar os pensamentos é moldar a vida

Ele nasceu, e agora? Escola, roupas e tudo mais!

Conforme a criança vai crescendo, os gastos também vão aumentando. Aí entrarão custos com mais roupas, calçados, brinquedos, novos móveis (como camas maiores), entre outros.

Há ainda os custos de alimentação, cuidados médicos e educação — que podem ser maiores ou menores, de acordo com a escola que estuda e se faz atividades extracurriculares, como aulas de inglês, por exemplo.

Haverá ainda gastos com lazer e entretenimento. Por exemplo, as viagens que antes eram apenas o casal, agora terão o custo extra de mais uma pessoa.

E quanto custa criar um filho?

Os custos, como foi possível observar, são bastante variáveis. Mas eles invariavelmente vão acontecer, por mais que você use o SUS, e seu filho estude em escola pública.

De acordo com uma estimativa da Ivent, os custos para criar um filho até os 23 anos em São Paulo, por exemplo, variam entre R$ 60 mil e R$ 5 milhões.

Isso não significa que apenas pessoas ricas possam ter filhos. Ao contrário: com organização e um bom planejamento financeiro, é possível realizar esse sonho de ser pai e/ou mãe com mais tranquilidade financeira do que sem nenhum planejamento.

Como garantir o futuro dele?

Nós podemos prever e planejar todos esses custos. Mas infelizmente não temos como prever o futuro. Todo pai ou mãe já se pegou olhando para seu filho dormindo e ficou com o coração apertado, pensando num monte de coisas ruins que poderiam acontecer com eles. 

Esse medo é natural. Até hoje lembro de sair com a Maria Clara, minha filha mais velha da maternidade. Antes de entrar no carro o médico me perguntou: está pronto para viver a maior emoção da sua vida? 

E eu respondi que já estava vivendo. O médico completou: você vai sair de carro, vai dirigir com todo o cuidado do mundo e vai ter certeza de que todos os veículos vão querer bater em você. E ele estava certo.

É claro que não conseguimos prever ou evitar tudo o que pode acontecer ao longo das nossas vidas ou das deles, mas por 20, 25 anos, nós somos responsáveis por eles. E isso inclui uma responsabilidade financeira. Porque eles dependem do nosso dinheiro para viver até chegarem na fase adulta.

E é por isso que o planejamento financeiro de quem tem filhos precisa ter um seguro de vida. Porque ele é uma proteção financeira que permite que seus filhos tenham recursos para viver e concluir seus estudos, mesmo que você não esteja mais aqui. 

Existem diversas modalidades para isso, como os seguros de vida que protegem pela vida toda, ou mesmo aqueles que são temporários e os protegem por 10, 15, 20, 25 anos. 

O mais importante é que sejam sempre adequados às necessidades deles e ao seu bolso. Por isso precisam entrar dentro do seu planejamento de forma mais ampla. Isso certamente te dará tranquilidade financeira.

Como economizar para as despesas?

Quando você estiver se preparando financeiramente para um bebê, não se estresse em lidar com todos os itens de uma vez. Vá por etapas, mas comece. Isso tornará o processo de juntar dinheiro mais fácil.

Sua melhor aposta é começar pequeno: tente juntar dinheiro suficiente para cobrir os custos da gravidez.

Finalmente, pense em maneiras (grandes e pequenas) de economizar e gerar dinheiro extra para as despesas do bebê. Algumas mudanças devem ocorrer naturalmente. Porque quando você tem filhos, suas prioridades mudam e isso se reflete no seu consumo. Algumas formas de economizar ao se preparar para o bebê podem incluir:

  • Reduzir alguns “luxos” como refeições caras em restaurantes e cafés.
  • Fazer uma reserva financeira e aplicá-la em em alguma conta de investimento que lhe renda juros melhores que a poupança, mas que também possam ser rapidamente sacados em caso de emergência.
  • Analisar criticamente as despesas mensais com serviços domésticos e de telefone celular, TV por assinatura, academias e assim por diante. Não que você precise viver sem essas conveniências, mas pode ser capaz de mudar para outras mais baratas. 
  • Reduzir a dívida do cartão de crédito evitando multas por atraso.

Os custos do primeiro ano podem aumentar rapidamente, mas planejar e economizar antes de iniciar novos gastos podem ajudar. 

E se você ainda não tem certeza sobre certas despesas ou como fazer todo o orçamento do bebê, peça ajuda a algum familiar que já tenha passado por isso. Pesquise preços e médias de gastos com amigos que já tenham filhos. Pesquise o custo com escola em diferentes idades.

Provavelmente, eles ficarão felizes em compartilhar algumas informações sobre seus hábitos de consumo — e, com sorte, garantir a você que o aspecto financeiro da nova paternidade é sempre administrável. 

Leia também::: Principais tipos de reserva financeira que você precisa conhecer

Tenha um filho!

Sim, apesar dos custos, ter um filho está entre as melhores oportunidades que a vida nos dá de evoluirmos enquanto ser humano. Todo o sentido da vida se transforma a partir dessa nova perspectiva. E como está no título desse artigo, há gastos, mas as alegrias que eles nos proporcionam são incalculáveis.

A experiência de criar um filho é sublime, e permite que além de ensinarmos, possamos aprender muito com eles. 

Por isso, mais que saber quanto custa criar um filho, saiba que o mais importante é se planejar para isso. E nesse sentido, confira nossa consultoria em Planejamento Financeiro Mais Seguro. Para saber mais sobre ela, clique no botão abaixo!

%d blogueiros gostam disto: