(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Se tem um mantra que gostamos de repetir é: faça uma reserva financeira. Ela é sua garantia diante de qualquer eventualidade e que poderá lhe garantir uma aposentadoria no futuro.

Mas apesar disso, sabemos que não é tarefa simples. Ela requer disciplina, planejamento e objetivos bem definidos. E no Brasil, infelizmente, essa ainda é uma realidade distante. Não é à toa que 66,5% dos brasileiros estão endividados, conforme pesquisa recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Ou seja, se já é difícil para a grande maioria das pessoas não se endividar, imagina criar uma reserva financeira. Porém, temos uma boa notícia para você: não é impossível!

E para você entender como criar a sua reserva financeira, e quais os principais tipos, preparamos o artigo a seguir. Confira!

Reserva de emergência

Se ocorre um imprevisto hoje, como um problema mecânico mais sério no carro, uma doença na família, ou mesmo um cano de água que estourasse na sua casa, você teria dinheiro para resolver rapidamente?

Sim, todos estamos propensos a sofrer essas emergências no nosso dia a dia. Mas nem todos têm uma reserva de emergência para esse tipo de coisa.

A reserva financeira de emergência, como o próprio nome diz, é criada para eventuais emergências, ou seja, eventos não previstos no seu orçamento. O ideal é que ela seja suficiente para cobrir seus gastos mensais por, pelo menos, um ano. Mas nem sempre o ideal é possível.

Considere para essa reserva uma quantia que possa garantir o pagamento das suas despesas em dia até que o imprevisto seja resolvido. Para isso, estime o tempo que precisaria ter para resolver situações mais graves que fazem parte da vida, como perder seu emprego, uma doença ou até um acidente.

Dessa forma, você não passa por necessidades. Mas uma dica, se ainda não tem a reserva e vai demorar para conseguir completá-la, considere complementar sua proteção com seguros adequados para sua renda. 

O ideal é que a reserva de emergência seja aplicada em investimentos de liquidez diária, garantindo que você poderá sacá-la no instante que precisar. Dessa forma, enquanto você não precisar usá-la, o dinheiro fica rendendo algum juros que compense, ao menos, a inflação. 

Entre os exemplos de investimentos para reserva de emergência estão:

  • Tesouro Selic
  • LCI e LCA com liquidez diária
  • CDB que tenha liquidez diária
  • Contas digitais remuneradas
  • Poupança (apesar de ter segurança e liquidez alta a rentabilidade da poupança hoje não compensa a perda do poder de compra para a inflação)

Leia também::: Quais os investimentos mais seguros e adequados para iniciantes?

Reserva de Valor

Outro exemplo de reserva financeira é a de valor. Ela é diferente da reserva de emergência, já que seu objetivo é investir em bens e buscar ativos seguros. Estes, mesmo em período de crise como a vivida nessa pandemia, não se desvalorizam.

As reservas de valor são aquelas que possuem a capacidade de preservar seu poder de compra com o passar do tempo. E entre os exemplos, estão:

  • Outro
  • Prata
  • Moedas fortes, como Euro e Dólar

Esses investimentos são interessantes mas exigem um nível de conhecimento mais avançado. Caso esteja começando agora, vá com calma. É fundamental investir sempre naquilo que você conhece e de forma adequada ao seu perfil de investidor.

Reserva de Oportunidade

A reserva financeira de oportunidade é aquela que você tem guardado esperando uma boa oportunidade. Pode ser a compra de boas ações em um momento-chave. Pode ser para o investimento em um imóvel se há alguma certeza que trará bom retorno financeiro, entre outros.

Em geral, o ideal é que você deixe essa reserva de oportunidade aplicada para que esteja rendendo ao menos os juros básicos enquanto não é utilizada. Porém, ela deve ser acessada rapidamente para que a oportunidade não seja desperdiçada. Dessa forma, segue o mesmo perfil da reserva de emergência que falamos anteriormente.

Assista também::: O perfil ENDIVIDADO: como virar o JOGO?

Crie sua reserva financeira

Apresentamos a você três tipos de reserva financeira, cada uma com sua característica. Mas para iniciar cada uma delas, como mencionamos lá no início, é necessário planejamento, disciplina e objetivo.

O planejamento tem relação com quando você vai reservar dos seus ganhos para a criação da sua reserva financeira. E para isso, o primeiro passo é saber exatamente quanto você ganha, quais são seus gastos mensais e quanto é possível destinar para a reserva.

Portanto, caso a equação entre o que você ganha e o que gasta esteja muito apertada, é preciso reduzir custos ou tentar aumentar a renda. Observe onde é possível reduzir gastos, o que é dispensável, ao menos por um tempo, e destine o valor a essa reserva.

Um fator importante a se considerar é que talvez seja necessário passar com um pouco menos por mês agora, para ter mais tranquilidade no futuro. É, por exemplo, reduzir a compra de comida por aplicativo, economizar no mercado com supérfluos e reduzir o plano de TV a cabo. 

É importante que você defina suas prioridades e veja o que consegue reduzir. Mas não corte tudo porque isso é insustentável. Se a conta estiver muito justa, talvez seja mais eficiente tentar uma renda extra só para investir. Mas isso tem que partir de você e da sua família.

Aliás, caso você queira saber como construir sua reserva financeira, preparamos um artigo com dicas para iniciantes que você pode conferir clicando aqui.

Espero que tenham gostado do artigo sobre tipos de reserva financeira. E caso precise de ajuda para criar a sua, confira nossa consultoria de planejamento financeiro mais seguro. É só clicar no botão abaixo para saber mais!

%d blogueiros gostam disto: