(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Oferta e demanda são princípios básicos da vida moderna. Eles interferem no preço dos produtos e serviços, no bolso das pessoas e nas relações de trabalho. Entender essa dinâmica ajuda a melhorar a qualidade das nossas escolhas.

Qual o conceito de oferta e demanda?

A relação entre oferta e demanda é um dos princípios de microeconomia. Porque trata das relações de dinheiro entre compradores, vendedores e o preço e valor de quase tudo na vida.

  • Oferta – quantidade de bens e serviços que empresas e pessoas podem e querem vender.
  • Demanda – quantidade de bens e serviços que empresas e pessoas podem e querem comprar. O preço determina a demanda. Aumento de preço reduz a quantidade de demanda. Bens de luxo, por exemplo, tem uma demanda menor do que bens populares.

Quando determinado produto ou serviço não tem demanda porque ninguém está disposto a pagar por isso, naturalmente ninguém vai querer trabalhar com esse produto. Afinal, ninguém é maluco de gastar dinheiro produzindo algo que não traz nenhum retorno para quem o produz.

De onde surgiu o conceito de oferta e demanda?

O conceito de oferta e demanda foi criado pelo economista e filósofo Adam Smith, em 1776, após a Revolução Industrial, na obra “A riqueza das nações”.

Por isso ele é considerado, um dos mais importantes teóricos do liberalismo econômico e “pai” da economia moderna.

Em linhas gerais, ele disse que existe uma “mão invisível” do mercado que fica tentando equilibrar essa equação de oferta e demanda. Resumidamente temos:

  • Quando a oferta no mercado é maior que a demanda, o preço cai.
  • Quando a demanda é maior do que a oferta, o preço sobe.

É o preço das coisas que sinalizam para os produtores que há um aumento ou queda da demanda. Com isso as empresas conseguem ajustar o volume de produção para atender a essa demanda. Quando se interfere no preço de forma artificial, esse equilíbrio deixa de ocorrer. 

Quais os fatores que afetam a oferta e a demanda?

O aumento do preço de um produto indica para os produtores que está faltando aquele produto no mercado (escassez) porque as pessoas estão querendo ele (demanda). 

Com essa indicação, os produtores aumentam a produção daquele produto para atender essa demanda. Se a produção subir muito além da demanda, as empresas baixam os preços para impulsionar a venda.

Porém, se uma empresa resolve subir muito o preço do produto, as pessoas podem pensar duas vezes e parar de comprá-lo ou substituir por outro similar, por exemplo. 

Isso é um indicador para as empresas de que o preço está alto e eles precisam diminuir o preço para continuar competindo naquele mercado.

Então, toda vez que nós, como clientes, compramos alguma coisa, estamos dizendo que queremos determinado produto e que o preço dele está justo. 

E assim o mercado vai se auto ajustando em busca de um equilíbrio entre as ofertas e as demandas.

Fatores que afetam a oferta

  • Fatores de produção – Quantidade de matéria-prima, capital para investimento e tempo de produção.
  • Sazonalidade – determinados produtos e serviços têm sua demanda aumentada em algumas épocas do ano. Por exemplo, ar-condicionado, sorvete, panetone etc.
  • Tecnologias – o desenvolvimento tecnológico pode permitir aumentar a produção de um produto, por exemplo.
  • Políticas de governo – por meio de incentivos fiscais para empresas.

Fatores que afetam a demanda

  • Popularidade e tendências sociais – a moda e a popularidade de uma marca ou produto.
  • Renda e poder aquisitivo das pessoas – um aumento de renda ou a entrada de dinheiro como o 13 salário, por exemplo.
  • Preço – dependendo do preço de um produto ou serviço as pessoas podem querer comprar mais ou menos.
  • Expectativa futura – a expectativa das pessoas e empresas em relação ao futuro influencia no aumento ou redução da demanda.

No início da pandemia de Coronavírus, por exemplo, houve um aumento enorme da demanda por álcool em gel. Durante um período, até que as empresas adequassem a produção à essa demanda, o produto ficou escasso no mercado. Houve um desequilíbrio. Faltou álcool em gel nos supermercados e farmácias e os preços subiram.

Com o passar do tempo, a produção se estabilizou. O produto voltou a ser encontrado em quantidade adequada à demanda e entrou em equilíbrio novamente. O preço também se ajustou. Em um evento como esse podemos ver claramente a influência que diversos fatores tiveram na oferta e demanda do produto.

Leia também: O que o Vietnã e o Covid-19 podem nos ensinar sobre vida e planejamento financeiro

Como a lei da oferta e demanda interfere na vida?

Da mesma forma a oferta e demanda por produtos e serviços afetam nosso bolso, também afetam outras áreas da vida. O trabalho é uma delas. Porque da mesma maneira que uma empresa produz algo com o objetivo de ter lucro, nós trabalhamos com algo com o objetivo de ter uma renda.

Portanto, ao escolher uma carreira, profissão, trabalho, precisamos levar isso em consideração. Quando se escolhe trabalhar com alguma coisa, há um investimento de tempo, energia, esforço e dinheiro em desenvolver uma habilidade. Então se torna professor, psicólogo, vendedor, advogado, médico.

Depois de adquirir essa habilidade e conhecimento, você fornece isso para alguém que precisa. Isso é o trabalho. Há uma troca de valor nessa relação. 

Você tem capacidade de fazer alguma coisa e alguém que precisa dessa habilidade te paga por isso. Ou seja, você é remunerado, tem uma receita. Seja em forma de salário, quando trabalha para alguém ou uma empresa. Seja em forma de renda, quando você tem uma empresa e um cliente te contrata, por exemplo.

Essa relação de empresa e funcionário, trabalho e cliente, é uma relação de oferta e demanda de mão de obra. 

Se o conhecimento e a habilidade que você tem é útil para alguém que precisa dessa habilidade e não tem, pode fazer sentido trabalhar com isso. Mas se você tem uma habilidade que não existe nenhuma demanda para ela, não faz sentido trabalhar com isso. Ao menos não do ponto de vista financeiro. 

Conclusão

Uma pessoa não investiria o dinheiro e o tempo dela em abrir um negócio se ela não tivesse a expectativa de ter retorno com isso, seja mais dinheiro, visibilidade, audiência etc. Logo sem isso, ninguém teria estímulos para desenvolver tecnologia, criar produtos, contratar pessoas etc. 

Você correria o risco de investir seu dinheiro em alguma coisa se tivesse certeza que não teria nenhum retorno?

Da mesma maneira ninguém trabalharia para outra pessoa se não tivesse a expectativa de receber um salário. Sua hora de trabalho tem um preço e o seu trabalho depende da demanda pela habilidade que você possui.

Na prática, tudo o que temos de produtos, bens de consumo e serviços nos dias de hoje só existe porque essa relação comercial entre compradores e vendedores existe. Sem isso não teríamos variedades de carros, celulares, roupas, comida, caneta, shampoo, serviço de telefonia, televisão, ciência, remédios, tomografia, vacinas e tudo o que temos hoje. 

Faz sentido para você? Já pensou nisso?


Leia também:

%d blogueiros gostam disto: