(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Sabia que é possível ensinar seu cérebro a economizar dinheiro? Isso é extremamente útil para quem deseja criar uma reserva financeira, mas não sabe por onde começar.

Na verdade, nossos cérebros são programados para priorizar o aqui e agora em vez de nossas necessidades futuras. Isso torna a economia para o futuro um dos hábitos mais difíceis de se formar. 

A boa notícia é que é possível moldá-lo para a economia. Mas tenha em mente que essa é uma construção feita dia após dia. Não se culpe ou julgue quando não conseguir. Apenas siga em frente exercitando. Com o tempo, ao praticar algumas dessas dicas práticas, é possível reconectar seu cérebro e criar um hábito de economia.

Quer saber como se ensinar seu cérebro a economizar? Então confira o artigo que preparamos a seguir, com dicas que você pode aplicar no dia-a-dia. 

Construa uma boa relação com o dinheiro

Em primeiro lugar, não há absolutamente nada de errado em gastar parte do seu suado dinheiro consigo mesmo. 

Porém, se você deseja economizar para a aposentadoria, construir um fundo de emergência, reservar dinheiro para uma nova casa ou carro ou pagar pelas suas próximas férias, gastar menos dinheiro a cada mês ajudará você a alcançar seus objetivos mais rapidamente. 

Mas isso não quer dizer que você tem que parar todos os gastos com coisas supérfluas: ao contrário, pequenos prazeres da vida são muito importantes. O que é preciso reduzir são as compras por impulso, ou em coisas que não são coerentes com seus desejos.

Dinheiro é como um relacionamento

Cuidar das suas finanças é como um relacionamento. Todos os dias você precisa cultivar um pouco para que ele cresça e dure. Algumas vezes, cada um quer uma coisa diferente e nos desentendemos. Nessa hora precisamos parar e conversar para chegar a um acordo comum. Porque se cada um andar em sentido oposto, nunca construiremos algo juntos e a relação acaba.

Com dinheiro é a mesma coisa. Você tem objetivos de vida e precisará de dinheiro para alcançá-los. Então a forma como usa seu dinheiro precisa estar em sintonia com seus desejos de vida. Algumas vezes vai bater aquela vontade de comprar algo que não faz sentido com seus objetivos. E você precisa sentar com seu plano e avaliar melhor se vale a pena ou não. 

Treine sua mente 

Um exercício que ajuda a treinar o cérebro a aumentar o nível de consciência no dia a dia é a meditação. Existem diversos aplicativos que você pode baixar para te guiar. Nós aqui usamos o Lojong (português) e o Headspace (inglês). 

A meditação é como uma musculação para o cérebro que você treina 10 minutos por dia. Mas te ajuda a melhorar o foco e a atenção plena na vida. E cada vez que você percebe que perdeu o foco, apenas retome e siga em frente.

Com o tempo isso vai te ajudar a se manter no foco do seu planejamento financeiro. O comportamento é o mesmo. Crie seu planejamento financeiro e “converse” com ele toda semana. Quando desviar, não se critique. Apenas identifique o que aconteceu e siga em frente. 

Portanto, Descubra o formato que funcione para você. Não existe regra universal para todas as pessoas nem fórmula mágica. Cada pessoa é única. 

Leia também::: Como fazer o salário durar o mês todo?

Ensinar seu cérebro a economizar

Para atingir seus objetivos, o desafio é ensinar o cérebro a economizar. Uma maneira de ajudar sua mente a se envolver em economia é facilitar sua tomada de decisão. Ou seja, identificar seus mecanismos internos e organizar sua vida e rotina de forma que facilite ou dificulte suas escolhas. Mas como fazer isso? 

Use dinheiro de papel

Trocando o cartão de crédito ou débito pelo dinheiro físico: quando temos que dar uma nota física para pagar algo, somos menos tentados a fazer compras por impulso. Porque o cérebro reage de maneira diferente com base na forma de pagamento.

Embora tecnicamente você esteja gastando a mesma quantia de dinheiro, independentemente do meio, o dinheiro envia um sinal ao cérebro de que algo está realmente saindo de suas mãos.

Descadastre as newsletters de lojas

Comprar pela internet trouxe muita facilidade para o nosso dia a dia. Mas aumentou nosso desafio de resistir ao consumo. Porque somos bombardeados de e-mails e anúncios para gastar com um clique. 

Na internet a dor do pagamento que falamos antes é quase zero. Não sentimos o dinheiro sair e as parcelas do cartão de crédito podem se acumular sem percebermos. E o resultado pode ser devastador se não acompanharmos de perto com consciência e coerência no que estamos fazendo.

Da mesma forma que nós não passeamos no shopping para não cair em tentação, descadastrar de newsletters de promoções te ajuda a não ter vontade de consumir. Lembre-se que o que os olhos não veem, o coração não sente. Isso vale para o bem e para o mal na vida financeira. 

Lide melhor com o impulso

Uma das melhores formas de lidar com a compra por impulso quando ela já fisgou seu coração é respirar fundo algumas vezes (de verdade, não é uma figura de linguagem). A respiração profunda ajuda a regular nossas emoções e nossa fisiologia. Na prática, nos ajuda a pensar melhor.  

Todos nós somos compradores emocional e isso é cientificamente comprovado com muitos estudos recentes. O psicólogo Daniel Kahnman, por exemplo, em 2002, recebeu o prêmio Nobel de Economia com suas pesquisas sobre finanças comportamentais. Portanto sofremos com centenas de vieses que influenciam sem consciência o nosso comportamento em relação ao dinheiro.

Por isso, quando o coração bate forte com vontade de comprar algo que não seja coerente com seus planos, experimente esperar para decidir comprar. Deixe passar alguns dias. Pode ser que a vontade passe. Pode ser que não.

Nesse período, reflita se você realmente precisa daquilo, e de que forma o valor empregado poderá afetar suas finanças. Ao tomar distância do calor do momento, fica um pouco mais fácil tentar racionalizar a decisão.

Muitas vezes, você ainda vai querer comprar o item — e isso é bom, já que pode significar que você realmente precisa dele. Mas, às vezes, você pode perceber que realmente não quer o item.

Leia também::: Como organizar as finanças? Siga esse passo a passo

Faça o teste estranho

Este é um pequeno exercício que você pode realizar mentalmente. Ao considerar uma compra, imagine um estranho oferecendo a você o valor em dinheiro da compra ou do item em questão.

Em seguida, considere o que é de maior valor para você. Digamos, por exemplo, que você esteja pensando em comprar uma TV por R$ 2.500,00.

Usando o teste estranho, você imaginaria dois cenários:

  • Você paga R$ 2.500,00 e tem a TV.
  • Um estranho oferece a você R$ 2.500,00, mas você não recebe TV.

Isso é essencialmente o que está acontecendo de qualquer maneira, mas ao criar esse cenário fictício, você pensa duas vezes. 

Você pode muito bem querer a TV, mas também é possível que este teste lhe dê uma nova perspectiva sobre os R$ 2.500,00 depositados em sua conta bancária.

Transforme gastos em economias

Converta seus hábitos de pagamento em hábitos de economia. Por exemplo, sempre que você eliminar um pagamento ou dívida de sua vida — digamos que você quitou o financiamento do carro — mantenha o hábito do pagamento mas, ao invés disso, destine o valor para sua reserva de emergência.

Por que isso funciona? Muitas pesquisas em psicologia mostram que as rotinas são motores poderosos de nossos comportamentos. Quando encontramos um hábito existente, podemos aproveitá-lo para impulsionar um novo comportamento. Isso torna mais provável que a nova rotina se mantenha. 

No exemplo acima, você já estava habituado a pagar a parcela do financiamento. Agora vai continuar pagando aquela parcela para formar sua reserva. Afinal de contas, é realmente tão fácil quanto manter o que você já estava fazendo, apenas ajustar o foco e o resultado. 

Assista também::: Quanto investir para viver de renda? 

Economize para seu futuro

Esses são alguns truques práticos que qualquer pessoa pode empregar para tornar a economia tão fácil quanto gastar. 

Eles funcionam porque se opõem ou exploram os impulsos mais irracionais de nosso cérebro. É verdade que economizar é difícil, mas com um pouco de planejamento antecipado, você poderá descobrir que economizar é mais fácil do que pensa. Ou melhor ainda, não exige pensar em nada.

Esperamos que o artigo sobre como ensinar seu cérebro a economizar lhe tenha sido útil. E caso queira mais dicas e informações sobre finanças, assine nossa newsletter e receba nossos materiais diretamente no seu e-mail. É só clicar no botão abaixo!

%d blogueiros gostam disto: