(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Será que dinheiro é a chave para os seus problemas financeiros? Se você tiver mais dinheiro será que é o suficiente para ficar mais rico? Subestimamos o poder de uma boa base de educação financeira.

Muita gente acredita que se tiverem mais dinheiro, a maior parte dos seus problemas financeiros serão resolvidos. Nessa busca, trabalham cada vez mais, contam cada detalhe que gastam na expectativa de que tenham cada vez mais dinheiro. É a famosa corrida dos ratos.

Mas nem sempre isso funciona. E, para avançar nesse sentido, é preciso dar um passo para trás e entender suas bases. Se você não tem uma base de conhecimentos sólidos, pode até ter aumentos de salário ao longo da vida. Porém seus gastos, provavelmente, vão aumentar na mesma proporção.

A relação com dinheiro é a base das relações comerciais e profissionais que temos ao longo de toda a nossa vida adulta. Só que a grande maioria das pessoas não aprendeu a lidar com ele lá na infância.

Uma boa educação financeira é capaz de transformar a vida das pessoas. Mas, apesar de não ter aprendido na escola, você sempre pode melhorar essa relação. E é sobre isso que vamos falar neste post. E se preferir, também pode conferir em vídeo.

Navegue por este artigo

    O que é educação financeira?

    Afinal, o que é educação financeira? É o conjunto de conhecimento e habilidades técnicas e comportamentais relacionados ao universo financeiro como um todo. 

    Por isso envolve matemática financeira, noções de economia, planejamento e gestão financeira, proteção financeira e acumulação e multiplicação de dinheiro e de patrimônio ao longo da vida. 

    Envolvem habilidades emocionais também como resiliência, disciplina, foco, priorização e uma série de outras capacidades. 

    Esse conjunto de conhecimentos e habilidades são fundamentais para que as pessoas tomem decisões financeiras com mais consciência. De forma mais saudável e que permitam que elas utilizem melhor o dinheiro que recebem, como resultado do trabalho e da carreira profissional que ela tem.

    A importância da educação financeira para vida

    Percebe a relevância que a educação financeira tem no nosso dia a dia, durante a vida inteira? Quase tudo que fazemos ou deixamos de fazer têm alguma consequência relacionada à nossa vida financeira.

    Depois de português e matemática, finanças pessoais deveria ser a matéria mais importante de toda a escola. Por um motivo muito simples: qualquer adulto que vive, trabalha e tem contas para pagar usa, ou deveria usar, os conhecimentos de educação financeira para construir uma vida próspera e saudável.

    Não estamos desmerecendo outras disciplinas. Mas a grande maioria dos indivíduos pode perfeitamente viver a vida inteira sem saber o que é uma mitocôndria, um anel aromático ou a tabela periódica. 

    Por outro lado, nenhuma pessoa pode viver sem saber lidar com dinheiro de forma saudável. 

    A falta de educação financeira é a origem das dívidas

    Historicamente o brasileiro vive endividado. Podemos dizer que esse é um problema que envolve muitas questões, mas que tem uma base comum: o baixo nível de conhecimento das pessoas sobre a dinâmica do dinheiro na vida. A tal da educação financeira.

    Na última pesquisa do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) de 2018, o Brasil ficou em 17º lugar, de 20 países analisados. Ficamos à frente apenas do Peru, Geórgia e da Indonésia demonstrando o baixo nível de conhecimento das pessoas sobre a dinâmica do dinheiro na vida.

    O problema da falta de conhecimento das pessoas em lidar com dinheiro ficou mais evidente com a crise do coronavirus. Hoje são mais de 65% das famílias com dívidas, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)

    O histórico econômico contribui para esse contexto  

    Viemos de um histórico econômico lá atrás que contribuiu para esse contexto brasileiro. A inflação era muito alta e as pessoas eram empurradas a gastar todo o salário para pagar as contas e fazer as compras antes dos reajustes de preços.

    Então não havia estímulo de poupança e investimento. Pelo contrário, o pensamento comum dizia: consuma o mais rápido possível. 

    Somado a isso, a cultura do jeitinho brasileiro deixa na cabeça da gente, de forma inconsciente, que podemos deixar tudo para depois que a gente dá um jeito. No final, tudo se resolve. Será que resolve mesmo? 

    Não temos uma cultura de ser prevenido e pensar nas coisas que podem acontecer. De poupar para o inverno, como fazia a formiga na fábula da Cigarra e da Formiga. Sempre fomos mais cigarra.

    E a escola também não nos ensinou. Felizmente essa é uma mudança importante que as futuras gerações serão beneficiadas. Em 2020, a educação financeira entrou na grade curricular obrigatória nas escolas públicas e privadas.

    Educação financeira para vida

    Quando o assunto é educação financeira, estamos falando de educar para a vida. E isso inclui um outro aspecto muito importante que até no universo financeiro é pouco falado. A construção de riqueza requer duas atitudes complementares: investir para o futuro e proteger o presente.

    Todo mundo quer saber de investimentos. Sem dúvida é mais glamuroso. A grande vontade de muitas pessoas é querer aprender como ficar rico em dois anos. E querem logo virar investidor day trader, na esperança de ficar ricos da noite para o dia.

    É uma ilusão achar que você vai sair do zero para multimilionário da noite para o dia. Trabalhando ou investindo é impossível. E a verdade é que não necessariamente precisamos virar milionário para termos uma vida próspera.

    Mas você pode perder tudo da noite para o dia. Por isso, faz parte de uma boa educação financeira aprender a administrar os riscos. Planejar e se prevenir para as coisas simples, comuns e banais que podem acontecer da noite para o dia e te tirar do jogo.

    Então você pode ficar doente, pode perder o emprego, pode sofrer um acidente de carro. Basta estar vivo que tudo pode acontecer. 

    Saber administrar esses riscos é tão importante quanto saber investir para multiplicar seu dinheiro e saber organizar seu fluxo de dinheiro para ter uma vida próspera.

    Para colocar em prática 

    Uma vida financeira mais segura e próspera é um estilo de vida e não uma estratégia pontual. Você pode colocar em prática agora mesmo. Apesar de não termos aprendido tudo isso na escola, sempre há tempo para adquirir conhecimento. A internet está aí para isso. 

    E nós estamos aqui do seu Laado para te ajudar a ter um planejamento financeiro mais seguro de verdade. Para que você aprenda a ter uma relação saudável com o dinheiro e ele seja apenas um recurso que, bem administrado, vai contribuir para você tirar do papel seus projetos de vida. 

    Então comece agora com esses três passos simples que já farão uma enorme diferença na sua vida:  

    • Passo 1 – Tenha controle financeiro – crie metas e um planejamento que te mostre onde quer chegar e os caminhos que tem para isso. Estabeleça rotinas para acompanhar seu orçamento.
    • Passo 2 – Tenha segurança financeira no curto prazo – o presente é a base para alcançar seus objetivos futuros. Por isso deve ser bem protegido, com uma reserva de emergência mais segura. 
    • Passo 3 – Tenha investimento financeiro no longo prazo – o futuro chega. Portanto comece a construí-lo o mais rápido possível. Não subestime o tempo. Quanto mais cedo começar, menor o esforço necessário. 

    Espero que esse post tenha feito sentido para você. Escreve pra gente e compartilha seu ponto de vista. Essa troca enriquece o conhecimento de todos.


    %d blogueiros gostam disto: