(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

De acordo com a Constituição brasileira é papel do Estado oferecer acesso à saúde de qualidade para todos. Contudo, infelizmente os brasileiros sabem que, por inúmeras razões, o país nunca conseguiu tornar essa obrigação uma realidade.

O sistema público de saúde possui ótimas unidades e que são referências em determinados tratamentos, porém ele não consegue atender de maneira adequada toda a população.

Sendo assim, esse serviço acaba sendo oferecido por empresas privadas de saúde. Como muitas pessoas não desejam ficar em filas esperando por um atendimento, aquelas que têm condições recorrem aos planos privados de saúde.

Entretanto, ainda há muita falta de informação no Brasil e, por isso, boa parte da população fica sem entender como esses planos funcionam. Pensando nisso, fizemos um post que explica como funciona a saúde privada no Brasil. Assim, você poderá se proteger e cuidar de sua família da melhor maneira possível.

Tipos de planos de saúde

Ter um plano de saúde no Brasil é essencial para que você garanta que vai receber um atendimento de qualidade nessa área, caso precise. Porém, atualmente apenas cerca de 24% da população brasileira tem um plano de saúde e, ainda, a maioria das pessoas possui somente porque é um benefício fornecido pela empresa onde trabalham.

Mas, e os autônomos? Como eles fazem para ter um plano de saúde e garantir qualidade no atendimento para sua família?

Hoje em dia existem 3 planos principais que esse profissional pode adquirir: o empresarial, o individual e o plano coletivo. Conheça melhor cada um deles: 

Empresarial

Nessa modalidade, o contrato é feito entre a empresa e a seguradora, cooperativa ou operadora escolhida. Para contratar esse tipo de plano é preciso ter um CNPJ ativo e no mínimo dois indivíduos devem ser segurados. Esse segundo segurado pode ser um colaborador da empresa ou até mesmo um dependente do contratante.

Individual

Nesse caso, a pessoa física contrata diretamente o plano com a operadora de saúde. O plano individual não é muito contratado, pois poucas empresas do ramo oferecem esse tipo de plano, e quando ofertam, ele tem preços bastante elevados.

As operadoras de saúde não costumam disponibilizar a modalidade individual, porque ela não é muito interessante para a empresa já que o reajuste de preços é limitado pelo Governo. Além disso, a operadora não pode cancelar unilateralmente o contrato depois que já está atendendo o cliente.

Como você pode perceber não há uma variedade grande de boas oportunidades para quem é autônomo. Por isso, foi criada outra modalidade para atender  quem é profissional autônomo e não tem CNPJ.

Plano coletivo 

O plano coletivo por adesão individualizada funciona da seguinte maneira: uma entidade de classe, como a OAB ou CRA, cria um plano coletivo porque ela tem um CNPJ para tanto. Contudo, a participação é individualizada, isto é, apenas os associados que desejarem participam da apólice.

Então, apesar de ser um plano coletivo, a adesão é individual. É importante destacar que esse tipo de contratação deve ser intermediado por uma administradora de benefícios, como a Qualicorp.

Leia também: Como proteger sua saúde e seu dinheiro em tempos de crise

O que impacta nos preços do plano de saúde

Muitos brasileiros não têm plano de saúde devido ao preço elevado desse serviço. Porém, existem vários fatores que influenciam na mensalidade e se você alterá-los ou retirá-los de seu contrato o valor pode se encaixar bem melhor em seu orçamento. Agora, vamos explicar o que impacta bastante nos preços do plano.

Tipo de plano

O primeiro fator que influencia no preço de um plano é a modalidade escolhida. Como foi dito, o individual tem valores bem elevados. Já o empresarial, em geral, é em média 15% mais barato que os planos individuais por adesão.

Por isso, vale mais a pena para o autônomo que tem um CNPJ, por exemplo, optar pelo plano empresarial em vez do individual.

Benefícios

Os benefícios inclusos no plano também impactam muito no preço. Um deles que influencia bastante na mensalidade é o quarto individual. Sendo assim, você pode alterar para o coletivo para que o valor seja mais baixo.

Outro fator importante é a rede hospitalar incluída no plano, sendo que é possível retirar uma ou algumas do contrato para que o preço fique mais acessível.

Com ou sem coparticipação

Você pode optar por um plano com coparticipação para que sua mensalidade seja mais baixa. Nesse modelo, você paga uma parte do valor por determinados serviços utilizados, como consultas ou internações. No entanto, o valor pago por mês é mais baixo que o de um plano comum.

A taxa paga por procedimento pode ser fixa ou um percentual, dependendo da operadora. Apesar de o contratante ter que pagar por certos serviços utilizados, essa modalidade pode ser interessante para alguns profissionais.

Isso porque os valores cobrados por cada procedimento costumam ser bem mais acessíveis que os preços cobrados de forma particular. Então, os valores acabam novamente se encaixando melhor no orçamento da família.

Plano de saúde x Seguro saúde

Além de haver diferentes tipos de plano de saúde, há ainda o seguro saúde. Ambos os serviços têm como objetivo garantir um atendimento de qualidade na saúde, mas eles têm diferenças importantes entre si.

A principal distinção entre ambos é que o plano possui uma rede de clínicas, hospitais, laboratórios e profissionais credenciados pela operadora e os clientes só podem se consultar nesses locais. Caso um contratante queira ir a outro consultório, por exemplo, o plano não cobre esse serviço.

Já no caso do seguro saúde o cliente não tem uma rede de atendimento. Ele pode ir ao profissional ou instituição que preferir, e depois o seguro o reembolsa pelos gastos com exames, consultas, entre outros. Geralmente, essa opção é mais acessível que o plano, até porque o valor reembolsado pela seguradora pode não ser de 100%.

É importante afirmar que não há uma alternativa melhor que a outra entre esses dois serviços. Cada um possui vantagens e desvantagens, então você precisa analisá-las e observar qual opção é mais adequada para você e sua família.

Você prefere não ter nenhum gasto na hora da consulta ou liberdade de escolha para ir ao profissional que desejar? Reflita sobre as principais características e só então faça sua escolha.

Caso você ainda tenha dúvidas sobre a saúde privada no Brasil e qual tipo escolher entre essas opções, que tal contratar uma consultoria 100% online? Assim, você terá certeza de que está fazendo a escolha certa!

Consultoria on-line para proteger sua saúde e da sua família e ainda economizar no plano de saúde

Nelson Paiva e Juliana Frota
%d blogueiros gostam disto: