(21) 96464-8597 laado@laado.com.br

Buscar o equilíbrio entre saúde e finanças é essencial. Uma saúde deficiente pode tornar mais difícil ganhar e administrar seu dinheiro. E se preocupar com dinheiro pode piorar sua saúde física e mental. Ou seja, o desequilíbrio pode virar um ciclo vicioso!

Encontrar esse ponto de equilíbrio é como andar de bicicleta. No início parece difícil. Nos desequilibramos e até caímos. Com o tempo e os treinos, encontramos a estabilidade no movimento. Percebemos que é preciso girar o pedal da saúde e do dinheiro para avançar com tranquilidade. E a pedalada fica muito mais fácil. 

É claro que aprender a pedalar leva um tempo. Assim como aprender a investir em saúde e em dinheiro. Dê um passo de cada vez. Na medida em que ganha confiança, você vai conseguir pedalar mais rápido. 

E se quiser, pode até virar um ciclista profissional. Mas se pedalar for apenas um hobby, um meio de transporte ou um lazer de fim de semana, tudo bem. Todos que pedalam de alguma maneira avançam. E é você quem dá o ritmo da pedalada.

Para te ajudar nesse processo, preparamos o artigo abaixo com um “mapa do caminho” que você pode seguir, caso queira alcançar o equilíbrio entre saúde e finanças e dar as primeiras pedaladas rumo aos seus objetivos. Boa leitura!

O que é bem-estar financeiro?

Todos nós temos preocupações com dinheiro de vez em quando. Mas, assim como uma alimentação saudável e exercícios físicos nos fazem sentir bem com nossa saúde, os hábitos financeiros positivos nos fazem sentir bem financeiramente. 

Como um plano de condicionamento físico, o equilíbrio entre saúde e finanças abrange rotinas e comportamentos que fazem você se sentir mais satisfeito com sua situação financeira. E, é claro, conseguir comprar coisas que você gosta e conquistar seus sonhos de vida, desde férias até a compra de um imóvel e a independência financeira, por exemplo.

Se você não está acostumado a assumir o controle de suas finanças dessa forma, pode parecer tenso. Mas sempre há tempo para adquirir hábitos positivos e melhorar sua relação com o dinheiro. 

E você também não precisa de um diploma ou de se tornar um especialista financeiro para isso. Os principais hábitos de bem-estar financeiro são bastante simples e incluem:

  • Gastar com coerência e dentro de suas possibilidades reais
  • Ter um fundo de emergência 
  • Ter acesso a ferramentas e conhecimento para tomar decisões financeiras melhores
  • Fazer um plano financeiro para o futuro, incluindo um orçamento e metas claras
  • Compreender como as emoções afetam sua relação com o dinheiro

Mas o fato de ser simples não significa que seja moleza. Justamente porque envolve habilidades comportamentais. E, até que tenha internalizado os movimentos, precisará de muita clareza dos seus objetivos para se manter pedalando.

Dinheiro é o problema?

Além disso, antes de continuarmos, você sabia que o bem-estar financeiro nem sempre está diretamente ligado ao quanto você recebe? 

Na verdade, uma pesquisa britânica recente descobriu que as pessoas que ganham mais de 100.000 euros têm as mesmas preocupações financeiras que aquelas que ganham menos de 10.000 euros! 

Isso mostra que a nossa relação com o dinheiro faz toda a diferença. Mais até do que com a renda em si. Quando uma pessoa tem uma renda menor e não tem hábitos financeiros saudáveis, mesmo que ela aumente a renda, muito provavelmente continuará com os mesmos problemas financeiros de antes, só que em uma escala maior.

É a velha máxima da sabedoria popular. Não importa o quanto você ganha, mas o quanto você gasta. Uma pessoa com uma renda de R$ 5 mil que investe R$ 500,00 todos os meses, tem uma vida financeira muito mais equilibrada do que uma pessoa com uma renda de R$ 10 mil, mas que entra no cheque especial todo mês.

Por que o equilíbrio é importante?

Todos nós precisamos de dinheiro para pagar as contas e aproveitar a vida. E vamos admitir, adoraríamos ter um monte de dinheiro disponível no banco! Desde que isso não dê trabalho extra. Essa é a realidade da maioria das pessoas. Elas querem ter dinheiro, mas não querem ter o trabalho necessário para alcançar esse dinheiro. 

Ou seja, para a grande maioria das pessoas, ter uma vida financeira melhor é apenas um desejo. Poucas são aquelas que constroem um plano e colocam em prática as ações que precisam fazer para alcançar este objetivo. 

Mas uma boa administração do dinheiro envolve ter consciência dos porquês. Entender o que está por trás de cada decisão de compra, de investimento e de proteção. É ter uma estratégia para seguir. E mais ainda, saber para onde voltar quando se desviar da sua estratégia. Sim, sempre vamos desviar em algum momento.

A vida financeira não é uma linha reta. É uma estrada cheia de curvas sinuosas e bifurcações. Em alguns momentos vamos nos perder. Mas quem tem um mapa do caminho com as direções claras, consegue se localizar novamente.

E isso te permite aproveitar ao máximo o que você tem. Pois sabe exatamente quanto você tem que gastar, consegue tomar decisões financeiras mais sábias e está ciente das próximas contas e dívidas a pagar. 

A maneira como você administra seu dinheiro impacta diretamente no seu estilo de vida e no nível de estresse.

Leia também::: Como fazer o salário durar o mês todo?

Emoções, dinheiro e bem-estar

Seria tudo mais simples se o dinheiro permanecesse na esfera das ciências exatas. Um mais um é dois e ponto. Mas nesta equação entra um componente extra chamado emoção. E ela muda todos os resultados.

O grande problema é que não fomos ensinados sobre educação financeira na escola, então nem todos entendem o impacto de criar hábitos financeiros positivos. Além disso, também não aprendemos a lidar com nossas emoções, frustrações e ansiedades. E essas inabilidades juntas são a química perfeita para o caos financeiro.

Temos uma grande parcela de brasileiros endividados — 67,5% para ser mais exato — e um terço fica sem dinheiro antes do dia do pagamento. É claro que tem questões mais complexas por trás disso. Uma imensa parcela da população tem uma renda baixa e a alta carga tributária do país torna tudo mais caro. Naturalmente essas pessoas terão mais dificuldades de poupar. Mas essa é uma questão profunda que podemos conversar em outro momento.

De toda a forma, há uma parcela das pessoas que se desequilibram mais por questões emocionais que pela renda que possuem. E isso impacta diretamente no bem-estar financeiro, aumentando a probabilidade de ter problemas adicionais de saúde mental. 

Chave para o bem-estar financeiro

Manter a saúde emocional e a gestão financeira em harmonia é a chave para o bem-estar financeiro. Quanto melhor você lidar com as emoções, tomará melhores decisões e, quanto mais conhecimento financeiro tiver, vai se sentir mais confiante.

Ajuda saber que se você se preocupa com dinheiro, não está sozinho. Todos nós nos estressamos com o dinheiro porque não é algo intuitivo e natural do ser humano.

Às vezes, ocorrem situações fora de seu controle, como perda de emprego ou emergências financeiras. Mas, independente de suas circunstâncias, aprender a administrar suas emoções em relação ao dinheiro te ajuda a retomar o controle. 

Quando as dificuldades chegarem, você terá as ferramentas para reagir com mais tranquilidade. É aqui que entra a consciência financeira! 

É claro que dinheiro não compra felicidade, mas resolve uma grande parcela dos seus problemas e necessidades de vida. Além disso, os problemas de dinheiro certamente nos deixam infelizes. Então vamos seguir nesse movimento para ter equilíbrio entre saúde e finanças.

Assista também::: 12 Princípios do dinheiro para alcançar o sucesso financeiro

O que é consciência de dinheiro?

A consciência do dinheiro ajuda você a se tornar mais responsável sobre como gasta, protege e investe. Com mais sabedoria, você tem mais liberdade para administrar o dinheiro e age menos por impulsos.

As emoções afetam a gestão do dinheiro de várias maneiras. Por exemplo, os gastos podem proporcionar uma “alta” temporária na alegria, o que explica por que muitos não perdem as famosas liquidações. 

Podemos fazer compras impulsivas de coisas que queremos, mas realmente não precisamos. Por outro lado, uma fatura inesperada pode causar ansiedade ou estresse imediato.

Atenção plena é prestar atenção total ao presente, sem julgamento. A meditação é uma forma de praticar esta habilidade, antes de aplicá-la ao seu dia-a-dia. Além disso, quando se trata de dinheiro, pode ser difícil raciocinar quando se sente estressado ou quer evitar verificar seu saldo bancário. Mas essa reflexão nos ajuda a lidar com esses sentimentos, respirar e entrar no estado de espírito certo para enfrentar os desafios de frente.

A meditação não faz com que o dinheiro apareça magicamente em sua conta bancária. Nem resolverá todos os problemas financeiros. Mas pode ajudar a reduzir o estresse, aumentar a autoconsciência e melhorar o foco e a tomada de decisões. E isso traz benefícios no longo prazo. 

A atenção plena nos torna conscientes de nossas crenças e emoções relacionadas ao dinheiro. Ao encarar essas crenças e emoções, somos livres para tomar decisões melhores. E isso, geralmente reduz os níveis de ansiedade em relação ao dinheiro.

Como alcançar o equilíbrio entre saúde e finanças

Atenção plena ao dinheiro ajuda a impulsionar emoções positivas e manter o equilíbrio entre saúde e finanças. Além dela, outras estratégias te ajudam a evitar o estresse financeiro no longo prazo:

Domine seu orçamento

Isso lhe dará mais controle sobre suas finanças, permitirá que você identifique onde está gastando mais e te ajudará a alcançar seus objetivos financeiros.

Tenha um planejamento financeiro

Um planejamento financeiro descreve as etapas necessárias para melhorar seu bem-estar financeiro. Ele inclui um orçamento, metas de investimentos e de gastos, e avaliar maneiras de reduzir despesas incoerentes e buscar formas de aumentar as receitas.

Estabeleça metas financeiras realistas

Pode levar algum tempo para saldar dívidas, aprender novos hábitos ou começar a economizar. Metas irrealistas aumentam a probabilidade de desânimo. Em vez disso, estabeleça metas específicas que também sejam alcançáveis. Mas que te desafiem a melhorar aos poucos.

Leia também::: Saúde financeira: chegou a hora de cuidar da sua!

Equilíbrio financeiro é uma maratona, não 100m rasos

Portanto, o bem-estar financeiro é uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos. Ou seja, se você está lutando com suas finanças, busque pequenas vitórias ao longo do caminho — não espere adquirir todo o condicionamento físico e psicológico da noite para o dia. 

Ao seguir essas dicas, você passa a se manter em progresso contínuo, equilibrando saúde e finanças, assim terá menos preocupações financeiras. É claro que imprevistos poderão surgir, mas nesse ritmo e com planejamento, você estará melhor preparado para encarar e superar os desafios que surgirem.

Nos preocupamos com seu bem-estar financeiro e acreditamos que o equilíbrio entre saúde e finanças deve também fazer parte da sua vida. Por isso, recomendamos que você siga nosso canal no Youtube e conheça os vídeos onde preparamos com muitas dicas e informações sobre finanças de um jeito simples e prático!

%d blogueiros gostam disto: